terça-feira, 1 de abril de 2008

Crescimento e Desenvolvimento

Desenvolvimento pré-natal (da concepção ao parto)
1) Período germinativo (óvulo e espermatozóide se encontram no terço distal da trompa);

2) Período embrionário (embrião – bolsa e cordão umbilical aparecem);
3) Período fetal (células ósseas e desenvolvimento do feto).


Hormônios que participam: prostaglandinas, estrógeno, progesterona, ocitocina (produção de leite), prolactina (estimula a produção de leite).


Seqüência dos eventos: clivagem (segmentação) – primeira divisão: mórula (seqüência das divisões) até tornar-se blástula; nidação – implanta-se na parede uterina; formação da bolsa contendo líquido, cordão umbilical e placenta; sistema nervoso em desenvolvimento; nona semana – fase fetal até o nascimento.
Fatores que afetam o desenvolvimento do feto: má alimentação (a grávida deve engordar de 9 a 12 quilos); fenilalanina (aminoácido presente em adoçantes e produtos diets) – não deve ser usada em excesso, porque compromete o desenvolvimento da criança (pode causar fenilcetonúria, problemas cerebrais causados pela enzima conversora da fenilalanina. Pode ser detectada pelo teste do pezinho); estresse; talidomida (droga que, antigamente, era usada para enjôo e causava má formação congênita; hoje, é usada contra hanseníase); falta de acompanhamento médico durante a gestação; estrutura familiar e social (influenciam na capacidade de aprendizado da criança); drogas e doenças em geral; álcool.
Após o nascimento
A criança deve engordar fora da barriga, e não dentro.
Cortisol – hormônio das glândulas supra-renais: estimula o aumento do progesterona e a diminuição do estrogênio, causando o aumento da ocitocina (ocorre a contração uterina e a ejeção do leite materno). O colostro é o primeiro líquido que sai antes do leite, e é como uma “vacina” pra a criança.
Quando a criança nasce, nos trinta primeiros dias ela não deve sair de casa, porque ainda não está imunizada; devem mamar nos seis primeiros meses (só no peito). Essas crianças, geralmente, são crianças mais calmas, mais espertas, mais atentas e têm uma cumplicidade muito grande com a mãe. As crianças que deixam de mamar e já comem comida aos 4 meses são crianças chorosas, que reclamam e são carentes. Para mamar, toda a auréola deve ser introduzida na boca da criança. Quanto mais a criança mamar, mais leite será fabricado. Para as crianças que mamam após os 6 meses, o peito lhes serve apenas de chupeta.
Não é recomendável dar leite de vaca para o lactente, pois esse leite possui proteínas maiores, tem digestibilidade menor e pode causar alergia na criança.
A mulher deve ingerir líquido antes de dar leite para não desidratar; o núcleo hipotalâmico estimula a hipófise que, junto com os estímulos de sucção da criança, causa a produção de ocitocina e prolactina.
Para desmamar: um alimento diferente por dia (chuchu, músculo etc.) e deve ser dado de dia, para que se possa observar a reação da criança.
O fato de um indivíduo ter uma tendência ao uso de drogas ou bebidas alcoólicas pode ter alguma relação com a dependência ou uso freqüentes dessas drogas ou bebidas pelos pais?
Sim, a criança já nasce com a síndrome de dependência de drogas ou abstinência alcoólica; pode possuir sério problema neurológico e outros problemas de desenvolvimento.
Uma mulher com Rh (-) é problemática, porque tem dificuldade em sustentar a gravidez até o fim; a primeira criança nasce normal, porém a segunda deve fazer transfusão de sangue ou a mãe deve tomar uma vacina antes da segunda gravidez (para evitar a eritroblastose fetal).

Método APGAR – testes feitos no momento em que a criança nasce, a fim de saber se ela precisa de algum acompanhamento médico (freqüência cardíaca, esforço respiratório, coloração da pele, tônus muscular, choro, respiração, tosse e espirro (são bons sinais)).
Método de Capurro – análise da pele do neném, glândulas mamárias, forma da orelha, se nasceu antes ou depois da hora, formato dos mamilos, pregas plantares, peso adequado etc.
O tubo para limpar o estômago do recém-nascido serve para tirar o mecônio (fezes do bebê) que ele pode beber junto com o líquido da bolsa.


Desenvolvimento neuropsicomotor
A conduta da criança compreende reações voluntárias.
A percepção é diferente de pessoa para pessoa; depende dos estímulos afetivos, visuais, auditivos etc. As etapas de desenvolvimento da criança devem ser respeitadas.
A fala e a locomoção podem ser recuperadas através das células cerebrais. Os neurônios não se regeneram, mas outros são capazes de retomar as funções dos que já morreram (neuroplasticidade).
Tipos de conduta: motora, adaptativa, linguagem, pessoal-social.

Um comentário:

Anônimo disse...

MUITO BOM O TEXTO, BEM EXPLICATIVO,PARABENS!!!jvccm